Publicado em

“Isso é um dom mesmo, não é?”

Olá pessoal.

Acreditamos que muitos de vocês leitores (independente da habilidade que possuam) já deve ter passado por esse tipo de situação em algum momento de sua vida, entretanto, ela é mais comum no meio artístico (seja desenho ou música).

Gohan, após um longo treinamento. Arte por Rafael Sá

Sempre conversamos com amigos sobre vários assuntos, jogos, música, quadrinhos, entre outros. Em um determinado momento a conversa aborda nosso trabalho, e falamos sobre suas características, mas eis que em algum momento chega a frase proibida que certamente nos acostumamos a ouvir:

“…nossa, isso é um dom mesmo, né?…”

Não, não há por que se chatear com isso, é claro .

Mas então, sobre o “dom”, como explicamos a nossos amigos somos da opinião de que esse é um pensamento equivocado, sinceramente não cremos que nasçamos com habilidades para isso ou aquilo, “ah porque o fulano joga bola como um fenômeno, nasceu com isso”, “beltrano toca violão maravilhosamente bem, que talento”, são muitas das coisas que ouvimos. Mas parando pra pensar a fundo a respeito disso, chegamos à conclusão de que o ser humano não nasceu sabendo aquilo (ninguém nasce sabendo), se fosse por isso entraríamos pra faculdade aos 9 anos ou antes, quem sabe.

Acreditamos que todos devemos nos esforçar bastante em estudar para sermos bons naquilo que queremos. Em QUALQUER COISA, o segredo é aprender, experimentar, tentar e estudar cada vez mais para conhecer melhor aquela profissão ou desenvolver aquela habilidade.

“…poxa pessoal, mas isso parece conselho de pai e mãe…”

Parece mesmo, mas venhamos e convenhamos, isso é verdade, galera. Se você quer ter uma profissão, uma skill, uma técnica, você PRECISA (requisito obrigatório) pesquisar bastante sobre o assunto e praticar para refinar o seu próprio modo de fazer. Todos temos uma predisposição/vocação para um ofício, mas é necessário exercitarmos para desenvolver uma eventual habilidade.

Quanto mais você estuda, mais você aprende.

Um abraço a todos.

Publicado em

Ao mestre com carinho – Stan Lee

Parábolas.

Adeus à Stan Lee – Diego Mendes

O mestre Stan Lee marcou gerações com suas criações para o universo Marvel, mas também nos deu privilégios ao oferecer orientações  e conselhos que incentivaram artistas como nós a seguir adiante em nossa profissão. Obrigado por tudo mestre, leve sua criatividade à outras galaxias, rumo ao infinito.

“Eu costumava ficar bastante sem jeito em ser escritor de histórias em quadrinhos enquanto outras pessoas construíam pontes ou salvavam vidas. Logo, comecei a entender que o entretenimento é um dos aspectos mais importantes em nossas vidas. Sem isso, as pessoas talvez entrassem em depressão. Acredito que se temos a capacidade de entreter, estamos então fazendo algo maravilhoso.”

– Stan Lee